Carrinho de Compras

Chás e Infusões

Confira as condições de Frete Grátis para sua região!

Blends clássicos de chás

Antes de começar a falar dos blends clássicos de chás, é importante destacar que abordaremos os blends feitos com chá da Camellia Sinensis, ou seja, blends (misturas) onde os chás utilizados são, exclusivamente: chá verde, chá preto (vermelho), chá branco, chá oolong, chá pu-ehr (escuro) e chá amarelo, sendo que os chás-pretos e chás-verdes são os mais utilizados em misturas.

Os blends de chás podem ser definidos atualmente como blends clássicos e blends contemporâneos. É muito interessante conhecer mais a fundo estes exemplares de chás, deste modo, em uma próxima oportunidade de compra, você saberá melhor o que aproveitar de cada um.

Mas antes, um pouco de história. A prática de misturar chás começou há 400 anos na província de Fujian, na China, quando o produto a granel substituiu o chá prensado (sim, prensado), que era difícil de misturar. O jasmim e outras flores foram adicionados para melhorar o sabor e a fragrância. Atualmente, são incluídos também frutas e especiarias. E temos que concordar: estes itens adicionados aos chás fazem toda a diferença!

Os blends podem ser encontrados no formato sachê ou a granel (folhas soltas) e são criados após muito trabalho de análise dos especialistas em chás, mas, é possível criar algumas misturas em casa também.

Mas, vamos ao que mais interessa! Conhecer um pouco mais os blends clássicos!

English breakfast: blend de café da manhã, é composto por chá-preto da Índia, Sri Lanka e Quênia, em proporções variáveis. Como o próprio nome diz, é muito tradicional na Inglaterra, mas se popularizou por todo o mundo. As receitas com as proporções específicas de cada tipo de chá usado na mistura são segredos bem guardados, que nenhuma grande empresa de chás ousa divulgar.

Earl Grey: outro famoso blend que se mantem na lista dos mais vendidos. Seu sucesso começou quando Earl Grey foi nomeado primeiro-ministro do Reino Unido, em 1830. Composto por três chás-pretos (darjeeling e ceilão, que trazem leveza e o assam, mais maltado, conferindo profundidade a bebida). A fragrância característica deste blend vem da adição do óleo essencial de bergamota e, em alguns casos, da própria casca da bergamota (citrus bergamia).

Genmaichá: chá japonês que mistura folhas de senchá (chá verde japonês) e arroz torrado. Tradicionalmente o arroz era adicionado como um enchimento para tornar o chá mais acessível, mas posteriormente, começou a ser procurado justamente pelo sabor.

Russian Caravan: criado em homenagem as caravanas de camelos que levavam chá e outros produtos provenientes da China para a Rússia no século XIX. A longa jornada durava vários meses e o chá era submetido a fumaça das fogueiras e expostos a diversos outros elementos. Este chá é produzido com três chás-pretos chineses – keemun, lapsang souchong e oolong tostado. É um chá que traz o cheiro doce de uma fogueira de madeira, com apenas um pouco de fumaça para aqueles que não apreciam o gosto do alcatrão do lapsang souchong. Interessante não é?

Rose Congou: Tradicional chá de flores da China, foi um produto importado muito popular na Inglaterra no século XVIII. Preparado com as folhas secas do chá-preto Congou, sendo colocado em camadas com pétalas de rosas, até que as folhas do chá fiquem impregnadas com o óleo das flores. Por ser doce, é um dos chás preferidos para o chá da tarde.

Vale lembrar que, ao misturar chás de origens diferentes, mesmo sendo o mesmo tipo de chá, já se caracteriza como um blend. Exemplo: Chá-preto do Quênia com chá-preto chinês, isso já é um blend, mesmo não tendo outros elementos na mistura.

Alguns destes blends clássicos podem ser encontrados de forma industrializada (sachê) em supermercados, ou em lojas especializadas de chás, neste caso, em sua maioria são chás de folhas soltas.

Ficou curioso para conhecer alguns destes blends? Então, comece aos poucos a prová-los e descubra qual mais lhe agrada!

Fonte: Extraído de “O livro do Chá” – Autora: Linda Gaylard – Publifolha

One comment

  1. […] Todo esse processo, complexo e detalhado, é o que proporciona os sabores e texturas inconfundíveis que encontramos nos blends clássicos de chá. […]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.